Transtorno de Acumulação

Características

Dificuldade persistente, com sofrimento associado, de se desfazer de pertences, independente do seu valor real, que obstruem de modo significativo as áreas em uso e dificultam a manutenção de um ambiente seguro para si e para os outros. A acumulação causa prejuízo social, profissional e em outras áreas importantes da vida do indivíduo. Os itens acumulados não são necessários e não existe espaço disponível.

A acumulação não é devida a outra condição médica como lesão cerebral, doença cerebrovascular, síndrome de Prader-Willi e não é mais bem explicada pelos sintomas de outro transtorno mental como transtorno obsessivo-compulsivo, transtorno autista, esquizofrenia, transtorno depressivo maior e transtorno neurocognitivo maior.

As principais razões dadas para o Transtorno de Acumulação são:
A utilidade percebida ou o valor estético dos itens ou
Forte apego sentimental aos pertences.

O medo de perder informações também é comum.
Os itens guardados mais comuns são: roupas velhas, bolsas, jornais, revistas, livros, correspondência, papelada, mas pode ser qualquer item como coisas valiosas.
Indivíduos com Transtorno de Acumulação experimentam sofrimento quando enfrentam a perspectiva de descartá-los. Esse critério diferencia o Transtorno de Acumulação de outras formas de transtornos mentais que são caracterizadas pela acumulação passiva de itens ou pela ausência de sofrimento quando os pertences são removidos.

A Obstrução devido aos itens acumulados é caracterizada assim:
Dificulta a vida do indivíduo e ele não consegue preparar alimentos na cozinha, dormir na sua cama ou sentar em uma cadeira. Se o espaço pode ser usado, é somente com grande dificuldade.
Grande grupo de objetos em geral não relacionados empilhados juntos de forma desorganizada em espaços designados para outros propósitos como mesas, corredor.
Áreas “ativas” da casa são tomadas, em vez de áreas mais periféricas, como garagens, sótãos ou porões, que às vezes ficam obstruídas nas casas de pessoas sem o transtorno.

O Transtorno de Acumulação contrasta com o ato normal de colecionar, que é organizado e sistemático. A atividade de colecionar normal não produz obstrução, sofrimento ou prejuízo típicos do Transtorno de Acumulação.

Outras características do Transtorno de Acumulação:

Indecisão, perfeccionismo, esquiva, procrastinação.
Dificuldade de planejar e organizar tarefas, distração.
Viver em condições insalubres.
Acumulação de animais: falha em proporcionar padrões mínimos de nutrição, saneamento e cuidados veterinários e em agir sobre a condição deteriorante dos animais como doenças, fome ou morte e do ambiente como superpopulação.

O Transtorno de Acumulação afeta ambos os sexos. Os sintomas de acumulação parecem ser quase três vezes mais prevalentes em adultos mais velhos comparados com adultos mais jovens.

A gravidade da acumulação aumenta a cada década da vida, depois de iniciados os sintomas, o curso da acumulação é com frequência crônico.

Indivíduos com Transtorno de Acumulação relatam retrospectivamente eventos vitais estressantes e traumáticos precedendo o início do transtorno ou causando uma exacerbação.

O comportamento de acumulação é familiar, com cerca de 50% dos indivíduos que acumulam relatando ter um parente que também acumula coisas.

Transtorno de Acumulação exige tratamento especializado. A Terapia Cognitivo Comportamental, é a terapia psicológica mais indicada para tratar pessoas que sofrem com o transtorno.
Saiba mais sobre a Terapia Cognitivo Comportamental, clique aqui
Consultas via Skype, entre em contato peloWhatsApp. 41 9.8525-1140, ou e-mail psicologia10.com.br
Consultas presenciais , entre em contato peloWhatsApp. 41 9.8525-1140, ou e-mail psicologia10.com.br

Dúvidas? Clique aqui e envie um Whats!