Transtornos Alimentares, tratamento e terapia.

Transtornos Alimentares, tratamento e terapia.

Os Transtornos Alimentares nas sociedades desenvolvidas constituem uma “epidemia” de culto ao corpo. A obsessão pela perfeição do corpo é o foco do pensamento das pessoas portadoras dessas patologias.

A Universidade Federal de São Paulo fez um estudo com dezenas de praticantes de ginástica olímpica, garotas que fazem aulas de educação física e nadadoras. O resultado apontou: 74% das ginastas, 56% das nadadoras e 58% das demais, confessaram o temor de desenvolver transtornos alimentares ou já apresentavam  alguns sintomas. Justamente pelo foco ao corpo perfeito. Pessoas que não praticam esportes também podem desenvolver transtornos alimentares.

Tipos de transtornos alimentares:

Anorexia
Bulimia
Síndrome do Gourmet: preocupação excessiva com pratos exóticos.
Transtorno Alimentar Noturno
Transtorno do comer compulsivo (comedores compulsivos)
Anorexia Nervosa
A  anorexia nervosa é um transtorno alimentar muito comum. A pessoa busca a magreza insistentemente, recorrendo a diversas estratégias para perder de peso. Anoréxicos tem muito medo de engordar mesmo sendo extremamente magros. A anorexia nervosa é uma transtorno grave que pode levar à morte por desnutrição. Fatores biológicos, familiares, culturais e psicológicos, podem desencadear a anorexia nervosa. Algumas características e comportamentos da pessoa que sofre de anorexia nervosa:

Preocupação obsessiva com o peso.
Crença de que se está gordo, mesmo estando muito magro.
Perda de peso em pouco tempo.
Interesse demasiado por alimentos.
Excesso de exercícios físicos.
Torna-se escrava das calorias.
Rituais em relação à comida.
Mente a respeito de comida.
Depressão, ansiedade e irritabilidade.
Isolamento da família e amigos.
Vômitos provocados.
Jejum absoluto.
Não admitir ter problemas e não aceitar ajuda.

Complicações

Desnutrição e desidratação.
Diminuição da massa muscular.
Anemia.
Diminuição da pressão arterial.
Osteoporose:fraqueza óssea.
Amenorréia: parada do ciclo menstrual.
Infertilidade em casos crônicos.
Maior propensão a doenças por enfraquecimento do sistema imunológico.

A família da pessoa anoréxica pode demorar para perceber que algo está errado, até a pessoa estar perigosamente magras e desnutrida.
Bulimia Nervosa

bulimia nervosa é um transtorno alimentar também comum. O indivíduo ingere de modo compulsivo quantidade de alimentos grande, seguidos por métodos de compensação, como a auto-indução de vômitos, uso de diuréticos ou laxantes e prática de exercícios excessivos. Fatores biológicos, familiares, psicológicos e culturais podem causar a bulimia nervosa.  O indivíduo com bulimia nervosa evita comer em público, evita lugares onde precisa mostrar o corpo, como praia e piscinas, têm muita vergonha de seus sintomas. Tem pensamento obsessivo por assuntos relacionados ao peso e forma corporal, comida.

Complicações

Vômitos com sangue.
Face inchada e dolorida.
Cáries.
Lesão sobre o esmalte dentário.
Inflamação na garganta.
Desidratação.
Dores musculares.

Qual a diferença entre anorexia nervosa e bulimia nervosa?
Na anorexia nervosa, o emagrecimento é muito acentuado. Na bulimia nervosa a magreza não chama a atenção. As mulheres podem ter corpo normal e até escultural, porém cuidam dele de maneira obsessiva. Sempre estão fazendo dietas rígidas. Vão a restaurantes e pedem apenas uma salada e de repente comem tudo o que vêem pela frente. Depois vomitam 5,10, 15 vezes por dia para evitar o ganho de peso. Provocam tantos vômitos que chegam a ferir os dedos.

Os Transtornos Alimentares exigem tratamento especializado. O psicólogo Flávio Pereira é pioneiro no uso da Terapia Cognitivo Comportamental (TCC), amplamente aceita nas organizações internacionais de saúde mental e no Brasil. Hoje a TCC é a terapia mais indicada para os Transtornos Alimentares, além de outros.

Sobre consultas via Skype, entre em contato peloWhatsApp. 41 9.8525-1140, ou e-mail psicologia10.com.br
Sobre consultas presenciais , entre em contato peloWhatsApp. 41 9.8525-1140, ou e-mail psicologia10.com.br

Mais artigos sobre psicologia, clique aqui.

Dúvidas? Clique aqui e envie um Whats!